Produtores de madeira do MT analisam meios de promoção da madeira legal do estado

Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015 –  Representantes do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira de Mato Grosso – CIPEM, da Bolsa de Valores Ambientais – BVRio e da WWF Brasil se reuniram este mês para estimular a comercialização e fortalecer a confiança sobre a origem dos produtos florestais derivados do Mato Grosso.
A Bolsa de Valores Ambientais BVRio está desenvolvendo uma Bolsa de Madeira Legal Rastreada, uma plataforma eletrônica de negociação que inclui um sistema de verificação da origem legal dos produtos negociados, para permitir a sua rastreabilidade desde a produção até o comprador final. A principal função da plataforma será aproximar compradores e vendedores de produtos de origem legal em um ambiente transparente e seguro.
“Tudo aquilo que mostra transparência e rastreabilidade do mercado de madeira é bom para o setor”, avalia Geraldo Bento, presidente do CIPEM (ouça a entrevista completa emhttp://goo.gl/kcBxHx). De acordo com ele, “A BVRio quer expandir o comércio da madeira e vemos a iniciativa com bons olhos, porque poderá melhorar a transparência sobre a origem dos produtos florestais e ampliar o mercado consumidor”.
O diretor da BVRio, Maurício Moura Costa, explica que a organização tem como missão promover o uso de mecanismos de mercado para auxiliar o cumprimento de leis ambientais, como o Código Florestal. “Outra área que estamos muito interessados em atender é o setor madeireiro, porque os compradores se sentem inseguros em adquirir os produtos por desconfiar da origem, isso se agrava quando envolve os compradores internacionais, principalmente dos Estados Unidos e União Europeia”, expõe Moura Costa.
Para o analista sênior do WWF, Ricardo Russo, os fornecedores da matéria-prima, que produzem com as técnicas de manejo florestal sustentável, atuam em conformidade com as exigências ambientais do século 21, mas quem compra requer o aprimoramento constante dos produtos. “Por isso, as indústrias têm que agregar valor à sua produção, oferecendo artigos acabados. Isso inclusive ajuda a lidar com a rastreabilidade da madeira e o Cipem defende essa transparência” pondera Russo. Atualmente o setor de base florestal de Mato Grosso opera com a rastreabilidade documental, prossegue o analista da WWF. “O ideal para contornar essa crise de confiança que se abateu sobre o setor é dar essa garantia de que os documentos são rastreados e legais”.
O sistema de verificação da BVRio é composto por um conjunto de procedimentos e medidas que incluem a conferência de informações e documentação, cruzamento de dados, análises de imagens de satélite e auditorias de campo. Os procedimentos de verificação incluem a legalidade documental, a veracidade da informação e a consistência dos dados, identificando indícios de irregularidades ou fraudes. Além da madeira legal rastreada, a Bolsa de Madeira também disponibilizará madeira certificada pelo FSC (Forest Stewardship Council).
Sobre a BVRio 
A Bolsa de Valores Ambientais BVRio tem como missão promover o uso de mecanismos de mercado que facilitem o cumprimento de leis ambientais brasileiras. Através da sua plataforma BVTrade, a BVRio apoia o desenvolvimento de mercados ambientais em todo o Brasil. A organização foi vencedora do Katerva Awards 2013, categoria Economia e nomeada Líder em Ação Climática pela R20 – Regions of Climate Action.
Imprensa – Press Office
Gabriel Figueira – gabriel.figueira@bvrio.org
Tel +55 21 3596-4006/4007