Publicação: “Comercialização de produtos madeireiros de manejos florestais comunitários”

Comercialização de produtos madeireiros de MFC_Facebook

 

Rio de Janeiro, 15 março 2018 – Hoje, BVRio e Imaflora publicaram, com o apoio do Observatório do Código Florestal, o estudo “Comercialização de produtos madeireiros de manejos florestais comunitários: diagnóstico, opções e recomendações para o setor”. Este estudo faz um levantamento da situação atual dos manejos florestais comunitários no Brasil a fim de identificar barreiras e oportunidades para que o setor cresça.

O manejo florestal comunitário (MFC) no Brasil tem o potencial de explorar até 46 milhões de hectares no Bioma Amazônia. Apenas em Florestas Nacionais e Estaduais da Amazônia, que somadas ocupam uma área de mais de 28 milhões de hectares, estima-se que a produção de madeira em tora, oriundas de planos de manejo sustentável, pode gerar entre R$ 1,2 a R$ 2,2 bilhões por ano. No entanto, a contribuição do MFC ao setor madeireiro encontra-se muito aquém de seu potencial e este enfrenta barreiras atualmente difíceis de superar. Há uma necessidade premente de prover capacitação para as comunidades envolvidas em MFC para superar as barreiras levantadas, deste modo promovendo a legalidade do setor com o cumprimento do Código Florestal Brasileiro. 

O objetivo deste estudo é de fazer um levantamento da situação atual dos manejos florestais comunitários no Brasil, para identificar barreiras e oportunidades para aprimoramento e crescimento do setor.


coomflonaManejo florestal comunitário (MFC)

O Estatuto da Terra brasileiro definiu o conceito do ‘manejador’ comunitário como aquele que promova o manejo florestal sustentável em imóvel rural, coletivo ou não, com fração ideal ou área individual menor que 4 módulos fiscais, usando mão-de-obra da própria família, dirigindo o seu estabelecimento ou empreendimento com sua família, a menos que a mão-de-obra familiar ou do conjunto de beneficiários não seja numericamente suficiente ou tecnicamente capacitada para atender a demanda dos trabalhos, quando poderá ser eventualmente utilizada a ajuda de terceiros.

 


Sobre BVRIO

Instituto BVRio é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é promover mecanismos de mercado que facilitem o cumprimento de leis ambientais brasileiras. A Bolsa de Madeira Responsável é uma iniciativa da BVRio com o objetivo de promover a promoção e comércio de madeira de origem legal e certificada. BVRio foi vencedor do prêmio Katerva Awards 2013 (Economia), nomeada Líder em Ação Climática pela R20 – Regions of Climate Action, é parceira da Forest Legality Initiative, e é integrante do programa de Key Accounts do Forest Stewardship Council®.

Sobre Imaflora

O Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola – Imaflora – é uma associação civil sem fins lucrativos, fundada em Piracicaba, no interior de São Paulo, em 1995. Nasceu sob a premissa de que a melhor forma de conservar as florestas tropicais é dar a elas uma destinação econômica, associada a boas práticas de manejo e a uma gestão responsável dos recursos naturais. Dessa perspectiva, o Imaflora acredita que a certificação socioambiental é uma das ferramentas que respondem a parte desse desafio, com forte poder indutor do desenvolvimento local, sustentável, nos setores florestal e agrícola.

Sobre o Observatório do Código Florestal (OCF)

Criado em maio de 2013, por 7 ONGs e hoje com 28 membros da sociedade civil, o Observatório do Código Florestal tem como objetivo monitorar a implementação da nova Lei Florestal em todo o país, na tentativa de mitigar os aspetos negativos do novo Código e evitar novos retrocessos. Além de gerar dados, informações e análises, promover a transparência e aumentar o potencial de debates informados sobre o novo Código Florestal dentro da sociedade, o Observatório tenta reunir e divulgar informações sobre a regularização ambiental das propriedades rurais no Brasil.

Imprensa

Cristina Tavares de Bastos
+44 (0)73 99297076
info@bvrio.org