BVRio promotes timber from the Tapajós’ community forestry project

On the banks of the Tapajós River, in Pará, Cooperativa Mista da FLONA Tapajós (COOMFLONA) is a community forestry project that works with sustainable timber extraction in the Amazon. Since 2003, the initiative has been operating in the region and today employs 150 “managers” – as workers in this segment are known. The yearly production[…]

Conheça um pouco da história do manejo comunitário de Tapajós

Às margens do Rio Tapajós, no Pará, a Cooperativa Mista da FLONA Tapajós (COOMFLONA) é um manejo florestal comunitário que trabalha com extração sustentável na Floresta Amazônica. Desde 2003, a iniciativa vem atuando na região e, hoje, emprega 150 manejadores – como são conhecidos os trabalhadores deste segmento. A produção gira em torno de 42[…]

car

Transparência do Cadastro Ambiental Rural, já!

O acesso a informação sobre a origem dos produtos agropecuários e florestais é essencial para assegurar a sustentabilidade no meio rural e o cumprimento do novo Código Florestal Brasileiro. Uma dos melhores iniciativas brasileiras para identificar o cumprimento com o Código Florestal é o novo Cadastro Ambiental Rural (CAR), um registro eletrônico de propriedades rurais desenvolvido[…]

relatorioBR

Webinar: Uso de big data para a detecção de ilegalidade no Setor de Madeira Tropical

Um levantamento feito pelo Instituto BVRio (iBVRio) indica que mais de 40% dos manejos florestais localizados nos estados do Pará e Mato Grosso podem estar envolvidos com irregularidades que, nos casos mais graves envolvem roubo de madeira de unidades de conservação e reservas indígenas. De acordo com diversos levantamentos, estima-se que mais de 70% dos[…]

bgidata

Webinar: Using Big Data to Detect Illegality in Tropical Sector with Pedro Moura Costa

A recent study by BVRio Institute (iBVRio) in Brazil found that more than 40% of the forest management operations in the Pará e Mato Grosso states are likely to be involved in severe breaches of the law, including timber theft from conservation areas or indigenous reserves, use of slave labour, and/or laundering of stolen timber[…]

a-amazonia

Custo-benefício: 2 bilhões de tCO2 por US$ 250 milhões: Cotas de Reserva Ambiental para REDD+

A aquisição de Cotas de Reserva Ambiental como estratégia de REDD+ pode resultar em reduções significativas de emissões (mais de 100 bilhões de tCO2) a custos muito reduzidos (menos de U$ 0,20/t CO2), e ao mesmo tempo promovendo a implementação do novo Código Florestal brasileiro – uma lei com potencial de transformação da paisagem rural[…]

Climate value for money: 2 GtCO2 storage for U$ 250 million: Forest Legal Reserve Credits in Brazil

The direct acquisition of Forest Reserve Credits as a REDD+ strategy could result in significant emission reductions (over 100 billion tCO2) at very low costs (less than U$ 0.20/t CO2), while promoting the implementation of the Brazilian Forest Code – a new law with potential to transform the rural landscape in Brazil. International REDD finance[…]

BVRio adopts blockchain technology for its registries

BVRio becomes the first organization worldwide that adopted the Regis blockchain technology for building their decentralized registries of timber trading records Blockchain is a distributed database that maintains a continuously-growing list of data records protected against tampering and revision. It is the technology used for the creation and trading of bitcoins, but its uses are much more[…]

Resolução CVM: Cotas de Reserva Ambiental não são valores mobiliários.

Cotas de Reserva Ambiental não são valores mobiliários. São instrumentos de aplicação do Código Florestal. Resolução da CVM confirma status da Cota A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) recentemente emitiu parecer dispondo que as Cotas de Reserva Ambiental (CRAs) não são valores mobiliários e que a sua negociação não está sujeita à sua supervisão. Com essa[…]